Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 27 de julho de 2010

quatro ou cinco brigadeiros depois...



Era sábado e a gente tinha acabado de acordar da festa do pijama na casa da Tia Carol e do Tio David. Meus pais vieram me buscar e aproveitaram para tomar café. Eu abaixei na mesa um pouco para descansar. Tia Carol me perguntou: - Uai, Nana, tá triste ou comeu brigadeiro demais? - Levantei a cabeça e respondi bem séria: - Estou triste, sou filha de pai separado! - Todos caíram na risada, até minha mãe. Eu não deixei por menos: - Não ri não, mãe, também sou filha de mãe separada!

segunda-feira, 26 de julho de 2010

eu adoro foto

Não tem jeito, posso estar triste, na pirraça, cansada, mas minha mãe já sabe que é só dizer: -Nana, dá um sorriso, vou tirar uma foto! Tá para mim, a rafa acabou de fazer curso de fotografia, agora só falta a minha mãe dar uma máquina pra ela. Enquanto isto eu vou treinando minhas poses. Ai natal, chega logo!!!

domingo, 25 de julho de 2010

Um fabuloso destino...

A Amelie vocês já conhecem, nós adoramos esta filhotinha. Mas, sinceramente eu acho que ela não tem muito futuro. Eu até tento ensinar alguma coisa para ela, mas ela não aprende... Primeiro eu tentei ensinar a brincadeira de soco-soco, bate-bate para ela, ela não aprendeu. Minha mãe disse que ela não sabe falar aí fica difícil. Tudo bem que ela é boa nos pulos, quando minha mãe joga a bolinha ela pula o sofá muito bem. Isso é truque comum, mãe. Resolvi dar uma nova chance para ela. Comecei com algo bem básico. Ela também não conseguiu aprender... quer coisa mais simples do que falar: Miau!? Ai, ai, Amelie, assim não dá, né?

quarta-feira, 21 de julho de 2010

O Tijúnio

Tijúnio é meu tio, ele é irmão da minha mãe. É nosso tio maneiro, que gosta de brincar com a gente, é o que sempre está incentivando. É o único tio que comenta no blog e a gente ainda nem tinha falado dele direito, só quando falamos do aniversário da Tia Vânia, mas não conta, né?...rs  Ele, como não podia deixar de ser, é artista também. Já fez até capa de livro. O livro de nossa amiga Líria Porto.
Ele também faz flyers, que é o nome chique que se dá para os convites de festa. Ele fez o da minha prima Dudule e da festa de aniversário dele e da minha avó Jura. Aquela que ele ficou esperando post aqui no blog. Ficaram muito legais, os amigos da Dudule ficaram impressionados com o convite e muitos deles querem que meu tio faça o convite para eles também. Aliás, se vocês quiserem, é só entrar em contato. Este é o da festa da Dudule, foi uma festa "Disco" e foi nesse dia que eu descobri que adoro dançar, como já contei aqui.
 
Este foi para a festa de aniversário dele e da minha vó. Estes desenhos também foram feitos por ele. Quem conhece os dois sabem que ficaram muuuuito parecidos. O aniversário deles foram comemorados no dia 10, mas eles nasceram no dia 07/07. Ele fica todo metido, diz que é um presente de aniversário para minha avó.


Taí, este é meu Tijúnio e este é seu post especial de homenagem, atrasado e mais que merecido!!!!

sábado, 17 de julho de 2010

só dá artista!!!!

Foto depois do 1° dia de curso
Foto depois do 2° dia de curso

 
Foto depois do 3° dia de curso
Retrato em sépia, aula final na praça da liberdade.
Fotos tiradas no último dia de curso. Aula prática na praça da Liberdade em 17/07/10.
Rafaela aproveitou bem o curso de fotografia digital que fez. Agora, finalmente, temos alguém para registrar nossos momentos!!! Valeu Rafa, parabéns!!!!

domingo, 11 de julho de 2010

é um pássaro, um avião, um ovni?

-Quem adivinha o que mostra esta foto? Um avião voando de noite? Um disco voador? 
-Nãããããããããooooooo.
-Era eu mesma, a Nana, toda iluminada na boate da festa de aniversário do Tijúnio e da Vovó Jura. Mal, mal descobri que adoro uma pista de dança apareceu outra festa. E eu que não sou boba nem nada, me acabei na pista de novo. Estava tão boa a festa que nem reclamei que não tinha brigadeiro e que o bolo não era de chocolate. E estas pulseirinhas brilhantes? E os colarzinhos de luzes? E a música alta e animada? Eu a.do.rei!!!!
E para quem não acredita que sou eu mesma, olha eu aí nas fotos com flash.

Viram? Pensando bem, vendo minha mãe e meu pai assim, dançando, eu acho que não tinha como eu não gostar, não é?

Olha aí os aniversariantes. Esta aí do lado, tampando o ouvido é a minha irmã Rafa. Lá na parede um painel que minhas tias fizeram, pois comemoramos também os 40 anos de casados do meu avô Manoel e minha avó Jura. 

Pelas fotos dá para perceber que esta família toda adora um arrasta pé, não é? Olha aí a Tia Carol e a minha tia Kiki.
É o pessoal ficou mesmo muito animado!!!! Eu já estou contando os dias para chegar a minha festa, ou melhor, contando os aniversários. Ainda faltam o aniversário do Gab, da Tiata, do meu pai, da tia Carol e do meu avô até chegar o meu, ai ai. Pelo menos eu vou poder curtir muita dança até chegar o meu dia!

sexta-feira, 9 de julho de 2010

ô mãe, me leva!!!!!!!!!!!!



quem disse que a gente queria ter visto isto pela tv?

domingo, 4 de julho de 2010

Me acabando na night



Ontem foi o aniversário da Dudule, minha tia Renata montou uma boate na área de festa da casa da minha avó. No começo eu fiquei ressabiada. Mas quando começou o batidão... Só dava eu na pista.Sim, vocês duvidam? É muito gostoso dançar e minha cadeira de rodas não atrapalha em nada. Eu surpreendi a minha mãe, porque eu tenho até a minha coreografia. Minha cadeira é muito pesada, mas mesmo assim dá pra divertir bastante. Estamos nos organizando pra comprar uma mais leve, que me dê mais mobilidade. Nas férias minha mãe vai me levar num lugar legal que tem aqui em BH que chama SUPERAR, um espaço para pessoas como eu que não se importam com as dificuldades e que querem mais é praticar esporte, atividade física e curtir a vida. Acho que já sei o que vou querer fazer: DANÇAAAAAAAA!!!!!! 

Já ia me esquecendo... Parabéns, Dudule!!!! Pena que a máquina da Tia Renata estragou e a gente não conseguiu registrar a festa, mas vai ficar registrado na lembrança!!!!

sábado, 3 de julho de 2010

Tia Rosa

A Tia Rosa é irmã do meu pai. Ela me chama de florzinha de chapecanga (nunca tive coragem de perguntar o que era isto...). Ela fala comigo todo final de semana, mas eu tenho de dar toquinho no telefone dela para ela retornar, por dois motivos: o primeiro é que minha mãe nunca tem crédito no celular e o segundo porque Tia Rosa quer saber se a gente pensa nela. Ela tem um namorado que é bombeiro e eu digo pra todo mundo que Tia Rosa tem um bombeiro. Por falar nisto, vou aproveitar e mandar um Parabéns e um Obrigado para ele, pois ontem foi dia dos bombeiros!!!! (o parabéns e o obrigado vai para todos os bombeiros que estão sempre a postos para quando a gente precisa).

quinta-feira, 1 de julho de 2010

ver além



Era um texto de Ruth Rocha para interpretação e leitura. Após ler o texto tínhamos de responder algumas perguntinhas. Era a história de uma garotinha de 6 ou 7 anos que tinha uma turma de amigos na rua em que morava. Era a mais nova deles e, por isto, a chamavam de pivete. Ela não gostava de jeito nenhum deste apelido, nem sabia o que significava. A rua era tranquila e quase não passavam carros. Seus amigos mais velhos andavam de bicicleta, mas ela não, porque não tinha nenhuma. Queria ter uma bicicleta, pois se andasse no meio de seus colegas parariam de chamá-la de pivete. No natal iria pedir uma bicicleta de presente. 

Era o que dizia o texto, resumidamente. A primeira pergunta: Qual era o maior desejo da criança? Como eu havia lido o texto para ela, fiquei esperando a resposta óbvia: a bicicleta, claro. 

Nana olhou para mim e disse, com a firmeza com que ela diz coisas que saem de dentro do sua bagagem ancestral: -Ela desejava ser grande. Levei um susto. Acho que o autor daquele livro didático também levaria, porque a próxima pergunta era: Com quantos anos ela conseguiu o que desejava? Ele falava da bicicleta, pois a menina ganhou a bicicleta naquele natal e a resposta seria 6 ou 7 anos. 

O que mais me impressionou é que o texto direcionava a resposta para a bicicleta. Acho que a frase era: A menina quis muito uma bicicleta. Algo assim. Esta ambiguidade dela me encanta. Ela não consegue ler, contar, escrever, mas compreende dos desejos mais íntimos das pessoas e, mesmo quando direcionamos as respostas para as perguntas da vida, ela consegue ver além.